A venda de direitos


La venta de derechos por Lynette Owen, estabeleceu-se como um guia essencial em todos os aspectos relacionados com a comercialização de direitos autorais. Este livro explica detalhadamente a lógica por trás da existência e negociação dos direitos autorais, descreve os aspectos práticos de como os direitos são vendidos e comprados na indústria editorial e fornece informações sobre as principais categorias de direitos existentes.

Esta coedição entre a Universidad de Guadalajara, a Universidad de los Andes e a Universidad Nacional de Colombia é uma ferramenta essencial e de leitura obrigatória para todos os profissionais editoriais relacionados com a negociação de direitos.

Agradecemos à Editorial UDG por nos permitir partilhar aqui um fragmento deste livro.

A lógica por trás da venda de direitos

Lynette Owen

Poderíamos supor que se um agente ou editor receber um conjunto de direitos para gerenciar, esses direitos deveriam ser usados ​​tão ampla e prontamente quanto possível. Na maioria das situações, este é certamente o caso; contudo, quem vende os direitos deve ter sempre em mente que o licenciamento é apenas um aspecto da promoção global do livro e da rentabilidade que gera para todas as partes interessadas. Qualquer estratégia de gestão de direitos deve ser cuidadosamente planejada e coordenada com outras atividades de vendas e marketing para maximizar os benefícios tanto para o autor como para o editor.

O papel dos direitos no processo de edição e publicação

A importância dos direitos em todo o processo de edição e publicação de um livro irá variar de acordo com o tipo de livro em questão. No caso da maioria das obras de caráter educativo, acadêmico e profissional, os livros não são concebidos com a ideia de venda de direitos, mas sim para satisfazer uma necessidade do mercado e, no caso dos livros didáticos, são concebidos principalmente para atender ao currículo do país de origem. No Reino Unido, muitas editoras académicas também dependem fortemente das vendas de livros universitários para países europeus e da Commonwealth, onde muitas pessoas falam inglês. Em alguns assuntos, eles podem tentar competir com editores nativos no mercado dos Estados Unidos; embora não tenham uma subsidiária nos EUA ou um distribuidor regular lá, podem ter que adquirir os direitos para esse país.

Os livros do ensino primário e secundário necessitarão provavelmente de modificações se forem utilizados fora do país de origem, a fim de ajustá-los aos programas educativos locais. Se uma editora britânica ou espanhola, por exemplo, tiver uma subsidiária na América e esta subsidiária publicar os seus próprios livros, é possível que ela esteja preparada para adaptar os principais projetos; se não for esse o caso, a editora original poderá encontrar um licenciador local que esteja disposto a adaptar o livro. O mais comum, porém, é que editoras de textos educativos desenvolvam seus próprios manuais escolares com autores locais que conheçam o currículo do país em questão; embora algumas editoras possam estar dispostas a fazer uma adaptação se sentirem que o 
conceito básico de um livro ou curso específico é difícil de desenvolver localmente.

Para livros escolares, a venda de direitos é geralmente um extra e raramente é um critério importante na decisão de encomendar ou não o livro. No entanto, receber receitas extras provenientes de direitos é sempre bem-vindo e os autores quase sempre ficam muito satisfeitos em saber que seus livros são utilizados em um mercado mais amplo. Em alguns casos, a venda de direitos pode ser a única forma de aceder a um mercado específico, especialmente se se tratar de uma tradução. A renda, entretanto, pode ser bastante modesta. Livros de referência ilustrados para bibliotecas escolares podem ter maior potencial.

Na edição comercial de livros, a importância dos direitos, em geral, pode ser muito diferente. O investimento inicial num projeto pode ser elevado, quer porque seja necessário um grande adiantamento para garantir a aquisição dos direitos, quer porque o livro tem um alto componente de investimento em termos de pesquisa gráfica, encomenda de ilustrações e fotografias e custos da impressão a cor. Em qualquer um destes casos, a perspectiva de venda de direitos pode ser um elemento crucial para decidir se o projeto será viável ou não. Para cobrir o investimento inicial pode ser necessário fazer acordos para vender os direitos para os Estados Unidos ou para a América Latina, direitos de série e direitos de tradução, e antes de assinar qualquer compromisso de projeto a editora pode consultar o departamento responsável pela gestão de direitos para quantificar a receita que essas licenças gerariam. Esta informação pode, então, ser um elemento fundamental na hora de realizar uma oferta para um projeto leiloado por um agente de autor ou por uma editora estrangeira.

Compartir este contenido
Facebook
X
LinkedIn
WhatsApp
Email