Previous
Next

Pandemia e memória coletiva

Um ano após o início do confinamento devido à crise de saúde do COVID-19, de nossa passagem pela inquietação, ansiedade, medo e saudade, várias editoras universitárias da América Latina convidaram leitores, autores, comunidades universitárias e artistas a compartilharem suas experiências por meio da escrita para criar memórias coletivas, espaços de expressão e reflexão, registros de vivências e aprendizados que essa nova e complexa realidade nos deixou. 

Aqui estão alguns deles:

Mini-ficções do confinamento
Editorial UDG
Rede: Red Nacional Altexto
País: Mexico

Vários autores
Ano: 2020
ISBN: 9786075479293
No. de páginas: 112
Idioma: Espanhol

De repente, em março de 2020, nos enchemos de incerteza, fatalismo e esperança. Como se outra pessoa tivesse escrito exatamente o que temíamos, sentíamos ou imaginávamos com loucura, de repente percebemos que o mundo já girava de forma diferente e que ele teria que se abrigar em casa: o inimigo invisível estendia seu alcance e seu rastro. Essas distantes distopias do cinema tornaram-se uma realidade assustadora. Como algo precisava ser feito para preservar um pouco da sanidade, nós o transformamos em um concurso literário. Mini-ficções do confinamento transforma em antologia as cinquenta micro-histórias vencedoras daquela convocatória, lançada poucos dias após o início da quarentena que nos deixou todos incrédulos, mas também criativos. Jamais saberemos se os autores teriam escrito outras histórias já acostumadas ao confinamento, o certo é que esses textos magníficos – junto com mais algumas plumas consagradas – são um testemunho da maneira como enfrentamos, a partir engenhosidade verbal, a crise sanitária causada pelo COVID-19.

Histórias confinadas
Editorial USACH
Rede: REDUCH
País: Chile

Vários autores
Ano: 2020
ISBN: 9789563034714
Idioma: Espanhol

Um livro que reúne cem relatos pessoais sobre as quarentenas que grande parte da população viveu como resultado da crise sanitária global provocada pelo Covid-19.

A distância social, a falta de alimento, a morte como uma experiência e a rotina do confinamento são alguns dos temas abordados nos poemas, contos e reflexões contidos neste livro como resultado de uma convocatória aberta realizada no primeiro semestre deste ano.

Pensando na educação em tempos de pandemia II UNIPE, Editorial Universitaria / CLACSO País: Argentina Red: REUN

Inés Dussel, Patricia Ferrante y Darío Pulfer
Ano: 2020
ISBN: 9789873805554
Páginas: 270
Idioma: Espanhol

A pandemia trouxe a migração massiva de sistemas educacionais para o ambiente virtual. Conceitos como catástrofe, emergência, crise tomaram conta da cena. Além disso, os educadores buscaram manter vínculos com seus alunos de diferentes formas. Na região ibero-americana, assimétrica na realidade dos países que a compõem, surgiram novas formas de desigualdade, somadas às antigas e àquelas que até recentemente a linguagem das ciências sociais chamava de novas. Traçar visões globais das tendências mais significativas, de ordem quantitativa e qualitativa, desvendar as configurações e dinâmicas concretas dos sistemas educacionais de alguns dos países da região e considerar uma série de problemas específicos das realidades educacionais são os objetivos deste volume coletivo. Elaborado no calor dos processos, como forma de dar uma palavra a uma situação de perplexidade, este livro é o espaço onde os autores ensaiam análises e interpretações para dar conta de continuidades e rupturas no modo de “fazer escola” hoje, no quadro da emergência sanitária.

 

Diário da Pandemia
Rede: Red Nacional Altexto
País: Mexico

Vários autores
Ano: 2020
ISBN: 9786073034999
No. de páginas: 658
Idioma: Espanhol

Quando a pandemia foi decretada, Guadalupe Nettel e Jorge Volpi começaram a procurar aquelas testemunhas que, de diferentes partes do globo e de diferentes perspectivas, se dispuseram a partilhar conosco um dos seus dias deste tempo extraordinário. Graças a todos eles se articula esse diário coletivo, essa crônica parcial e ininterrupta dessa época de vírus. Vozes que, de Veneza à Cidade do México, de Seul a Milão, de Luanda a Buenos Aires, poderiam abrir uma fresta de luz em meio à escuridão viral. De 28 de março a 30 de junho, alguns dos melhores escritores de nosso tempo compartilharam sua experiência, dia após dia, nas páginas eletrônicas da Revista da Universidade do México. Uma soma de dúvidas e saberes, de frustrações e vislumbres agora transferidos para este Diário da pandemia. Um relato, robusto e frágil como a própria vida, de como a literatura nos leva a sobreviver. Além disso, um grupo de escritoras e escritores, na sua maioria jovens, complementa este itinerário com as suas reflexões, um eco perfeito que une diferentes gerações nesta estranha época do vírus.

Compartir este contenido
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email