Previous slide
Next slide
Associação de Editoras Universitárias da América Latina e do Caribe
Boletim da EULAC

Ano 2023, Vol. 21, Março

«Compartilhando nosso conhecimento com o mundo»
A EULAC está integrada por:
ABEU, Red Nacional Altexto, ASEUC, REDUCH, REUN,
REUP, REUDE, EU PERÚ, EDUPUC e Ex-Libris.
Tradução espanhol-português: Ramón Cristiano Bonifacio.

Feliz 15 Anos, Red Altexto

Sayri Karp Mitastein
Há muito tempo que sabemos que publicar por publicar não faz sentido, que temos consciência do nosso papel fulcral que comunica o que está dentro (a universidade) com o que está fora (a sociedade), que a edição universitária implica a responsabilidade de servir à instituição em todas as suas funções substantivas, apoiar a docência, difundir o trabalho académico e divulgar a ciência, promover o diálogo e a leitura em todas as suas possibilidades e promover a internacionalização.

Recomendações editoriais

Caminho ao editar…

A última guerra do Século das Luzes

Argentina, China e o mundo (1945-2022)

De ilusões, conquistas e esquecimentos

Feminizar a história

Carmina Nahuatlato Frías
A história do mundo e sua revolução não foi escrita apenas por homens: as mulheres sempre estiveram lá, às vezes escondidas, silenciadas, mas sempre presentes. Embora aos poucos se dissipa estar à sombra dos seus colegas masculinos, fato que segue ocorrendo, felizmente as vozes femininas, que com suas ressonâncias sobem degraus, quebram tetos de vidro e buscam posicionar seu lugar na história, vão se fortalecendo.

Agenda

Feria Internacional del Libro de Bogotá

18 de abril a 2 de maio

Feria Internacional del Libro de Buenos Aires

27 de abril a 15 de maio

5° Seminário Brasileiro de Edição Universitária e Acadêmica e 35° Reunião Anual da ABEU

8 a 11 de maio

A fonte de luz

Fernando Leal Carretero
As pessoas têm apenas duas fontes de conhecimento do mundo, apenas duas maneiras pelas quais podem se abrir para o mundo ou o mundo se abrir para elas: a experiência pessoal e os livros. Nenhuma dessas duas fontes é completamente pura e límpida; ambas podem confundir e enganar, cada uma a seu modo, mas ambas são também fontes inesgotáveis ​​de luz, alegria e proveito.

Canchar

México

Uma palavra que não permite erros ou que permite todos. Já ouvi muitas pessoas usarem indiscriminadamente e incorretamente, como “mamalonche” ou como “ñengo” ou “tínguaro”. Cada uma dessas palavras mereceria uma discussão à parte, mas para canchar é preciso ter uma disposição ontológica. Não qualquer pessoa cancha o peso da outra. Canchar vai além de carregar. “Você quer que eu canche para você?” implica um grau de empatia, confiança e respeito pelo outro. Nem todos nós canchamos ou podemos canchar. Apenas os escolhidos, apenas aqueles que atingiram o posto de Saiyajin têm o direito. Que os mortais, os outros, carreguem ou levantem.

Assinar o boletim

Para receber a boletim diretamente em sua caixa de entrada, por favor, preencha este formulário.

Créditos fotográficos:
Tim Mossholder, Lysander Yuen, VO Noticias, Eric Rothermel, e Wonderlane
publicadas no Unsplash.

Compartir este contenido
Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
Email